Novo Normal em tempos de COVID-19

Novo Normal em tempos de COVID-19

Enquanto vemos o que está acontecendo no mundo e ouvimos muitos governos dos países começarem a falar sobre quando e como aliviar as restrições e reabrir / reiniciar a economia, precisamos antecipar e estar prontos para este “novo normal”.

A linguagem “retornar ao normal” pode criar falsas expectativas. O que podemos esperar ver no modo de trabalho (pelo menos até que uma vacina ou uma cura viável esteja disponível) definitivamente não é o que era em janeiro deste ano. E mesmo se tivéssemos a vacina ou cura disponível agora, como saberemos que a maneira como trabalhamos em janeiro foi a maneira mais eficaz de trabalhar? Estamos aprendendo novos hábitos e novas maneiras de fazer as coisas e descobrindo recursos que certamente queremos manter e desenvolver ainda mais no futuro. Podemos usar essa situação única para evoluir para um “normal muito melhor” e ter clareza sobre o que vai mudar e o que queremos manter do que aprendemos para a saúde dos trabalhadores.

Seguem algumas dicas para ter um “novo normal”:

  • NOVOS HÁBITOS:​​​​​​​

Lave com frequência as mãos até a altura dos punhos, com água e sabão, ou então higienize com álcool em gel 70%;

Mantenha pelo menos 2 metros de distância entre você e as pessoas;

Evite tocar seu rosto;

Cubra a boca e o nariz ao tossir ou espirrar – nova etiqueta social;

Evite fumar e outras atividades que enfraquecem os pulmões;

Pratique o distanciamento físico, evitando sair de casa sem necessidade e afastando-se de grandes grupos de pessoas (aglomerações);

Evite a lotação de elevadores em apartamentos de forma a garantir o distanciamento;

Não toque em nada antes de higienizar as mãos com água e sabão ou álcool em gel;

Tome banho ao retornar da rua. Quando não puder, lave bem todas as partes expostas;

Tenha contato com outros membros da família somente após tomar banho;

Tire os sapatos fora de casa e higienize imediatamente;

Tire as roupas e coloque em uma sacola plástica antes de colocar no cesto de roupas;

Deixe bolsas, carteiras e chaves em uma caixa na entrada da casa;

Higienize as embalagens que tenham sido trazidas de fora antes de guardá-las;

Elimine capachos e demais tapetes que juntam poeira na soleira da casa;

Evite abraços, beijos e apertos de mãos. Adote um comportamento amigável sem contato físico, mas sempre com um sorriso no rosto;

Higienize com frequência o celular, óculos e os brinquedos das crianças;Não compartilhe objetos de uso pessoal, como talheres, toalhas, pratos e copos;

Mantenha os ambientes limpos e bem ventilados;

Se estiver doente, evite contato físico com outras pessoas, principalmente idosos e doentes crônicos, e fique em casa até melhorar;

Durma bem e tenha uma alimentação saudável;

Utilize máscaras caseiras ou artesanais feitas de tecido em situações de saída de sua residência.

  • MODERE SUA ATUALIZAÇÃO DE NOTÍCIAS

Você pode assistir e ler todas as fontes de mídia disponíveis ou optar por evitar o tópico completamente para se concentrar em coisas “mais felizes”. Informações e atualizações sobre o COVID-19 são importantes, mas escutar ou ler notícias o tempo todo induz ansiedade e pânico e é contraproducente.

Estabelecer limites pessoais e limitar suas atualizações de mídia a sites governamentais atualizados pode ajudá-lo a se manter informado sem provocar ansiedade ou preocupação. Estes sites podem ser:

  • Organização Mundial de Saúde
  • CDC (Centro de controle de doenças)
  • Ministério da Saúde
  • CUIDE DA SAÚDE EMOCIONAL DE SI E DE SEUS FAMILIARES

Reserve um tempo para relaxar.

Conecte-se com familiares e amigos (telefone, reuniões virtuais, etc.).

Compartilhe suas preocupações e como você está se sentindo com outras pessoas de confiança.

Tente fazer outras atividades que você goste.

Observe estes sinais comuns de angústia:

– Sentimentos de dormência, descrença, ansiedade ou medo;

– Mudanças nos níveis de apetite, energia e atividade;

– Dificuldade de concentração;

– Dificuldade para dormir ou pesadelos e pensamentos e imagens perturbadoras;

– Reações físicas, como dores de cabeça, dores no corpo, problemas de estômago e erupções cutâneas;

– Agravamento de problemas de saúde crônicos;

– Raiva ou irritabilidade;

Se a aflição estiver afetando sua vida e atividades diárias, procure auxílio psicológico, como por exemplo o Centro de Valorização da Vida (CVV) através do telefone 188. O serviço é gratuito e funciona 24h por dia.

CVV

http://www.cvv.org.br

Telefone: 188

E-mail: atendimento@cvv.org.br

  • AJUDE OS SEUS FILHOS

As crianças respondem de maneira diferente a situações estressantes. Quando pais e cuidadores lidam com o COVID19 com calma e confiança, eles podem fornecer o melhor suporte para seus filhos. Como pais, professores e outros adultos veem crianças em diferentes situações, é importante que trabalhem juntos para compartilhar informações sobre como cada criança está lidando.

Converse com seus filhos sobre a doença:

  • Tente manter a calma e assegure-lhes que eles estão seguros;
  • Ofereça às crianças oportunidades de falar sobre o que elas passaram ou o que pensam sobre a doença;
  • Incentive-os a compartilhar preocupações e fazer perguntas.

Nem todas as crianças e adolescentes respondem ao estresse da mesma maneira. Algumas alterações comuns a serem observadas incluem:

  • Choro ou irritação excessiva em crianças pequenas;
  • Preocupação ou tristeza excessiva;
  • Alimentação ou hábitos de sono não saudáveis;
  • Irritabilidade em adolescentes;
  • Dificuldade de atenção e concentração;
  • Dores de cabeça inexplicáveis ​​ou dores no corpo.
  • TENHA CUIDADO COM SEU CORPO

Respire fundo, alongue ou medite.

Coma refeições saudáveis e equilibradas.

Exercite-se regularmente.

Durma bastante.

Pratique o mindfulness.

“Tudo pode ser tirado de nós, exceto uma coisa: a liberdade de escolher nossa atitude em qualquer conjunto de circunstâncias” ~ Viktor Frank

Deixe uma resposta

Fechar Menu